Wednesday, August 23, 2006

As estrelas observavam a menina, estarrecidas. Jamais outro ser tão etéreo as tinha chamado tanto a atenção. A menina Luzia, encantada com sua sombra provocada pelo luar, sorria embevecida em seu mundo recém-descoberto. Sua sombra sempre parecera atônita e alheia a tudo, o que por vezes chateara a menina. Mas agora descobrira o motivo disso tudo: ninguém nunca tinha ensinado a ela, pobre criatura das trevas, as expressões. Não sabia o que fazer para expressar felicidade ou tristeza. Luzia compreendera, e agora pensava uma técnica para ensinar sua sombra a se expressar.

[Ela está pensando.]

6 comments:

lu said...

pô stellinha
gostei viu
demais

*****

e quer saber? nada de comentários longos, esse texto é pra ser sentido, não comentado

e tenho dito!

beijos!

Barcamor said...

Minha nossa, Ste.. que foi isso?

Só uma pergunta faço: se a luz for embora, a sombra morre ou vira Tudo?

Ainda tem muito pra entender...

mesmo assim, feliz dela por ter a Luzia.

Beijos.

Anonymous said...

Sabia!
Vi em você algo que parecia poesia

Não eram apenas
versos bonitos ou rimados
Havia um som diferente próximo a tí
Mas eu não sabia onde estava
Ouvia seu som, mas não a via.
Achei que não a conheceria

E agora descobri:
Era Poesia
Ah, sublime combinação sonora e visual!

Por isso, lhe digo:
Em sua face, harmonia
Para seus belos olhos, poesia!

Stella Polaris said...

Obrigada, senhor anônimo... mas... Quem é você?

Tomaz said...

Ta bom Sté... Quando terminar me avisa... Vou ver se consigo terminar o meu agora, torce ae...

PS: Apaixonado o moço, hein?

ricardones said...

fui eu stella, fui eu
huhuhuhuhuhuhuu