Tuesday, October 26, 2010

réquiem

que me escrevas cartas de amor com toda a freqüência possível
mas não a freqüência exata que as exima de me surpreender.

que me consoles e carregues e acolhas
sob chuva ou arco-íris
que me pintes
(ar de rua, suor, um carinho no enlace dos dedos
e penumbra, dança, e insustentável força e meneios)
em cores sem nome

e me beijes, que me beijes como a única mulher a ti jamais entregue
conhecida em alma

e teu corpo me sonha.

e que, acima de tudo, meu amor,
saibas quando calar.

2 comments:

Ânima said...

Olá, Stella Vi no Twitter que você está procurando uma escola de pintura. Aqui na Ânima temos pintura em tela e vários outros cursos. Dê uma olhada no nosso site www.anima.art.br e se você se interessar pode marcar uma aula demonatrativa gratuita.
Atenciosamente, Gisela

Fernanda Cozendey said...

Demorei a passar por aqui novamente.
Eis que a sutileza sempre impera.

P.S.: Não me recordo onde encontrei seu blog, mas, ele é ótimo!